António Cunha Pereira (ECOINSIDE): O segredo não é novidade, está no respeito pelas pessoas

No âmbito do projeto Ecossistemas dos Ambientes de Trabalho Saudáveis (EATS) para avaliar as condições de saúde e estilos de vida dos profissionais e de que forma as organizações são ecossistemas promotores da saúde e bem-estar, o contributo de António Cunha Pereira, CEO da ECOINSIDE é o caso divulgado esta semana na rubrica da Líder: Healthy Workplaces.

Todas as semanas, uma organização, das mais de 40 que integram o projeto, partilha reflexões e práticas de ambientes de trabalho saudáveis em diferentes setores e atividades.

O bem-estar dos profissionais está intimamente ligado ao ambiente laboral, ao seu desempenho individual e global desempenho das organizações.  Esta semana contamos com a partilha e experiência da ECOINSIDE apresentada pelo seu CEO António Cunha Pereira acerca da forma como as organizações podem promover ambientes saudáveis e trabalhadores felizes.

“Sabemos que colaboradores felizes fazem empresas felizes, prósperas e desenvolvidas. Mas a questão parece persistir, como podemos, afinal, potenciar um ambiente de trabalho saudável?

Na ECOINSIDE acreditamos que cada colaborador é único e parte integrante e fundamental da empresa, com as suas particularidades, pontos fortes e fragilidades. O nosso segredo para uma empresa saudável assenta, por isso, em alguns valores que consideramos básicos e fundamentais.

Empatia e compreensão estarão, certamente, na base da pirâmide e, em tempo de pandemia, em que fomos obrigados a repensar o nosso modo de trabalhar e implementar o regime de teletrabalho, este respeito declarado por cada um dos nossos colaboradores revelou-se fundamental para que continuássemos a funcionar em pleno. Avaliar a situação de cada um, adaptar métodos e fornecer equipamentos necessários para que todos tivessem a oportunidade de trabalhar nas melhores condições possíveis traduziu-se num espírito de equipa reforçado, com colaboradores ainda mais empenhados.

O reforço da comunicação, que também neste período teve de ser adaptada para os meios digitais, ao invés da norma a que estávamos acostumados de um contacto próximo e pessoal entre equipas e parceiros, foi e é chave para o sucesso dos trabalhos que realizamos. Continuamos próximos uns dos outros apesar da distância física.

Foi, aliás, com este mote que, desde logo, implementámos reuniões de início da semana com toda a equipa que funcionavam para que estivéssemos todos a par e em sintonia quanto ao trabalho que estava a ser desenvolvido na ECOINSIDE, bem como para que pudéssemos ter um tempinho de “coffee break” para conversar e estreitar laços uns com os outros.

Do mesmo modo, criámos, igualmente, uma newsletter interna para encerrar a semana, na qual resumimos os trabalhos relevantes que estavam a ser levados a cabo por cada departamento e partilhamos ideias, notícias e relatórios que possam interessar no âmbito do tema de cada edição. Todas as newsletters têm, ainda, em comum o facto de terminarem sempre com uma frase (usualmente um dito popular) que uma das colegas começou a partilhar com a equipa desde que fomos obrigados a optar pelo teletrabalho. Um pequeno ritual que uniu toda a equipa e que se manterá, certamente, no futuro.

Pelo caminho tiveram de ficar, pelo menos por enquanto, outras iniciativas que tínhamos pensado com o objetivo de fomentar o bom espírito de equipa e de trabalho. Desde logo, a criação de uma equipa de futebol da empresa, os almoços de Natal e de férias que já eram costumeiros ou o adiamento de um evento que temos planeado, no âmbito da iniciativa Act4Nature que integramos, para a promoção da biodiversidade.

Um outro ponto absolutamente fundamental para que haja um ambiente de trabalho saudável é a confiança de todos em todos: a confiança por parte das equipas de que os líderes estão a tomar as melhores decisões para a empresa e a confiança por parte dos líderes de que todos os seus colaboradores estão a rumar em direção a um objetivo que é comum, com o seu máximo empenho e convicção.

Por fim, a capacidade de delegar e de desafiar constantemente os membros da empresa com novas tarefas e responsabilidades acrescidas traz duas grandes vantagens. Em primeiro lugar, permite que as chefias se concentrem em tarefas mais relacionadas com decisões estratégicas, com liderança, com o rumo da empresa a longo prazo e, por outro, permite que os colaboradores tenham oportunidades para crescer profissionalmente, para se destacarem e para mostrarem o que valem na execução de novas tarefas e projetos, aumentando a sua realização profissional e satisfação.

De facto, é nisto que acredito, o segredo para um ambiente de trabalho saudável e uma empresa com maior probabilidade de sucesso é só um: o respeito entre pessoas.“

Líder Online – 12 JULHO 2021

Partilhar